Quinta-feira, 27 de Março de 2008

Lucro para quem?

  A Plataforma de Intervenção Cívica do Porto, vai inaugurar amanhã, no Orfeão do Porto, na Praça da Batalha, dia 28 de Março pelas 18:30H-20:00H, uma Exposição sobre o percurso do Mercado do Bolhão, onde inclui o projecto de reabilitação de 1998 do arquitecto Joaquim Massena, aprovado pela Câmara do Porto, IPPAR e todas as entidades. 

  Trata-se de impedir a destruição de um sítio, de uma forma de vida, de uma cultura, destruição que se destina a criar um espaço banal, vulgar, consumista, lucrativo... para quem? Trata-se de uma luta contra a mediocridade, de uma luta justa!

tags:
publicado por paradoxosfilho às 23:09
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Março de 2008

um2

 

Esta senhora, uma cientista em neuro-anatomia, teve uma hemorragia no cérebro esquerdo e tenta descrever-nos o que é "estar" no cérebro direito, no maravilhoso silêncio do nirvana.

Palestra no TED, em 12 deste mês.

publicado por paradoxosfilho às 20:44
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 22 de Março de 2008

O bom senso nunca é reaccionário

Era obrigatório ir à escola até à 3ª classe, depois até à 4ª (sem a 4ª classe não se podia ter carta de condução, muita gente se instruiu por isso!).

Aos 10 ou 11 anos, com a 4ª classe, quem quisesse, tivesse pais dispostos a isso (e capazes disso), podia fazer o exame de admissão aos Liceus. É que se podia ter a 4ª classe e não ser admitido aos liceus.

Ser admitido, que coincidia com tirar o bilhete de identidade, que era necessário, era o final da infância, uma espécie de iniciação; era habitual, no Liceu, os alunos serem tratados por Sr. Fulano, enquanto na escola não.

Estes senhores estavam no Liceu porque tinham conseguido entrar lá. Ninguém os coagira. No Liceu havia uma disciplina, claro, havia regras; as regras faziam parte da escolha que o aluno fizera, a de ser aluno! Em alternativa poderia ter ido trabalhar como servente de um mestre, instituição medieval que perdurava, ou simplesmente continuar a ajudar no campo, com responsabilidades que iam crescendo com ele. Havia sempre lugar na lavoura.

 

Era uma sociedade injusta, como a de hoje, aliás. Os filhos dos proprietários rurais iam parar a Coimbra, onde pouco aprendiam, os filhos dos caseiros dificilmente. Essa injustiça foi sentida pela geração que apoiou a Reforma do ministro Veiga Simão, do governo de Marcelo Caetano, o privilégio, sentido, justamente, como injusto, deveria ser expandido a toda a população. Eventualmente o ensino obrigatório estendeu-se aos Liceus. Os miúdos, coagidos a estudar por força da lei, deixaram de ser senhores. Gente coagida a fazer algo cabe melhor na designação de escravo.

 

Os Liceus encheram-se de gente que não queria estudar, que lá estava porque a isso era obrigada. Como era muita gente precisava de muitos professores, que as universidades produziam aos milhares e a quem a sociedade não conseguia dar emprego suficiente. Professores que, muitas vezes, teriam querido ter outro trabalho. O que é estranho é que destes novos liceus tenham saído alguns dos melhores cientistas do mundo, e saíram!

 

Mas não é estranho que uma “aluna”, obrigada a aprender francês, recuse à sua professora o direito de lhe tirar o telefone portátil. Estranho é que ela esteja na aula se a não quer ouvir.

 

Partilho o sentimento, que é o da minha geração, de que a escola deva ser acessível a todos. Abomino a ideia de que deva ser obrigatória (coisa que também será da geração que dizia “é proibido proibir”). Qualquer coacção é uma violência. A violência, além de desnecessária, não funciona. Aliás, só aprendemos o que queremos aprender. Tantos miúdos vão espontaneamente à Wikipédia procurar informações, conhecimentos … que sentido faria obrigar os miúdos todos a pesquisar a Wikipédia, para seu bem? E seria a enciclopédia toda, ou só aquilo que os ministros decretassem?

 

Eu sei, o bom senso está, habitualmente, uns bons 20 anos à frente do senso comum… e o dito senso comum ainda pensa que somos pouco mais que macacos amestrados que, se não formos forçados a ser civilizados só queremos fazer macaquices, um perigo! É um “humanismo” que não acredita no homem; que pensa que tem que fazer muitas leis para nos obrigar a ser gente.

Mas a nossa é uma geração anarca, leitor, cuidado com o que lê! É uma geração que acha que toda a gente merece respeito, que abomina a violência, que ama a liberdade e que tem a lata de pensar que toda a gente é assim, no fundo.

Os problemas da democracia resolvem-se aprofundando a democracia. Nunca com violência.

publicado por paradoxosfilho às 17:46
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

Tibete livre!

Respeito, dignidade, estes são valores centrais da Organização das Nações Unidas, são valores que estão na base da criação da Paz. Embora haja jovens que querem a independência, o Dalai Lama pede apenas contactos para uma autonomia; o importante é que se pare de tentar destruir uma cultura, com a sua religião, aquela que está no “Tecto do Mundo”, por sinal.

 

Petição pelo fim da violência no Tibete

 

De uma fotografia de Mica Costa Grande, Laasa, Novembro de 2003
 

Outra petição, ao Presidente da China, que vai em quase 800 milhões (errata de 14.Maio.2008: onde se lê "milhões" leia-se "mil". Hoje, o dobro, um milhão e seicentos mil).

publicado por paradoxosfilho às 12:34
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 10 de Março de 2008

De "Mensagem", de Fernando Pessoa

Horizonte

O mar anterior a nós, teus medos
Tinham coral e praias e arvoredos.
Desvendadas a noite e a cerração,
As tormentas passadas e o mistério,
Abria em flor o Longe, e o Sul sidério
'Splendia sobre sobre as naus da iniciação.

Linha severa da longínqua costa ---
Quando a nau se aproxima ergue-se a encosta
Em árvores onde o Longe nada tinha;
Mais perto, abre-se a terra em sons e cores:
E, no desembarcar, há aves, flores,
Onde era só, de longe a abstracta linha.

O sonho é ver as formas invisíveis
Da distância imprecisa, e, com sensíveis
Movimentos da esp'rança e da vontade,
Buscar na linha fria do horizonte
A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte ---
Os beijos merecidos da Verdade.

                            Fernando Pessoa
publicado por paradoxosfilho às 13:43
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 9 de Março de 2008

Em Freixo de Espada à Cinta / Nasceu Luís de Camões / Sua Mãe, D. Jacinta / Negociava em limões

Não gosto deste papel (que foi bastante o da minha geração e o meu) de “explicar” coisas às pessoas com ou sem a quarta classe, em vez de aprender com elas. É evidente que a cultura portuguesa, para não falar em sabedoria, se não mede pelos anos de estudo. Quando acordei, hoje, uma senhora queixava-se, no meu sonho, dos médicos da “caixa”: já tinha ido ao médico do coração e continuava a deitar rios de água pelos olhos. Eu ia “explicar” que deveria ter ido ao psiquiatra mas, graças a Deus, acordei. Até porque não acredito nos psiquiatras para tratar as dores da alma.

Deixem-me pôr aqui um soneto de Camões. Fernando Pessoa dizia que há vários níveis de interpretação, níveis simbólicos, o poeta pode estar a falar de um amor bem terreno que morreu ou da “dissociação” da sua própria alma, cansada desta vida, descontente:

 

Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida descontente,
Repousa lá no Céu eternamente,
E viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etério, onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
Alguma cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te;

Roga a Deus que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

      

E pode estar a falar de Portugal, da nossa alma que partiu para o Brasil, faz hoje anos, nas naus que rumavam à Índia. Vi essa efeméride no jornal de hoje; outra notícia, sincrónica a esta, é a de que se está a formar um novo partido, o “Movimento Esperança Portugal”. Bem-vindo! Seja bem-vindo, até porque o dono do quiosque onde comprei o jornal falava com os clientes de um assunto bem popular, os assaltos. Ao que parece ele propunha deixar os gatunos violentos, depois de um enxerto, pendurados ali no jardim, durante uns dias, depois soltava-os. Não sei se tem a quarta classe ou se anda a “explicar” coisas às pessoas, mas não o sonhei, é um sentir que anda no ar! Se não estivéssemos bem ancorados na Europa, bem teríamos mais um golpe de estado, como é nosso costume, desta vez contra a democracia. Por isso saúdo o novo partido, que é democrata e sensato, me fez lembrar o Obama por ser feito por gente que vem de organizações de solidariedade, com uma ideia simples da política, de serviço público. Oxalá  apanhe os votos deste descontentamento, destes cem mil professores, por exemplo, que mostraram ser democratas ao recorrer à rua para falar com surdos.

 

publicado por paradoxosfilho às 10:45
link do post | comentar | favorito
|

.Contador

Free Hit Counter
Free Hit Counter
Relógio do Mundo As horas nas principais cidades

.arquivos

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.Janeiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.links

.favorito

. Arte

. Afirmações de um pedreiro...

. Paradoxos filho

. Bem aventurados os pobres...

. Dignidade e respeito

. 50 anos

. O poder não é útil

. O Sol e a Lua 3

. Aquecimento global, relat...

. Escrever

.posts recentes

. Sob o signo de Sagitário

. Shministim

. "Desejo ser um criador de...

. hum

. A Verdade interessa

. Toghether

. "The true genius of Ameri...

. On the top of the world

. "De alma e coração", Uran...

. A Democracia americana ai...

. Zeitgeist

.tags

. 25 de abril

. aborto

. américa do sul

. amor

. analogias

. aquecimento global

. aristóteles

. astrologia

. beatles

. bento xvi

. bob dylan

. bolhão

. bom senso

. brasil

. bush

. caos kafkiano

. castelhano

. charlot

. chavez

. cidades

. ciência

. co2

. Constituição

. criatividade

. crise climática

. crop circles

. democracia

. desenvolvimento

. dignidade

. direita

. direitos humanos

. dr. mendes

. durão barroso

. ecologia

. educação

. emoção

. energia

. erro

. espírito

. esquerda

. estética

. ética

. europa

. f. pessoa

. f.pessoa

. família

. fome

. fumar

. g8

. gaia

. gelo

. globalização

. hipocrisia

. hospital

. humildade

. humor

. iatrogénica

. Ibéria

. império

. imprensa

. inconciente

. inconsciente

. infância

. iraque

. Islão

. jihad

. josé socrates

. jovens

. justiça

. karl marx

. lei

. liberdade

. livro-do-desassossego

. lua

. marilyn

. marx

. meninos

. modernidade

. montados

. natal

. naus

. obama

. onu

. opinião pública

. pão

. papa

. paradoxos

. paz

. petróleo

. platão

. plutão

. poder

. razão

. realidade

. respeito

. salazar

. sócrates

. turquia

. utopia

. verdade

. todas as tags

Solar X-rays:

Geomagnetic Field:
>
Status
Status
 
From n3kl.org
OnlineConversion.com É um conversor para todas as medidas